Acompanhe

Sidney Poitier, primeiro negro a vencer o Oscar de Melhor Ator, morre aos 94 anos

Ator teve um trabalho de relevância
Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Telegram

Ator Sdney Poitier

Ator Sdney Poitier Foto: Reprodução

Sidney Poitier, primeiro negro a vencer o Oscar de Melhor Ator, morreu aos 94 anos. A morte foi anunciada nesta sexta-feira (7), mas causa e local não foram informados.

Poitier levou o Oscar por seu trabalho em "Uma Voz nas Sombras", em 1963. "A viagem foi longa para chegar aqui", disse emocionado ao receber a estatueta.

Nascido prematuramente em Miami, no estado americano da Flórida, em 20 de fevereiro de 1927, quando seus pais se mudaram das Bahamas, Poitier obteve a dupla nacionalidade americana e bahamense.

Ele lutou contra a pobreza, o analfabetismo e o preconceito para se tornar um dos primeiros atores negros a ser conhecido e aceito em papéis importantes pelo grande público.

O ator também é conhecido pelos filmes "Ao Mestre, com Carinho", "Adivinhe Quem vem para Jantar" e "No Calor da Noite", todos lançados em 1967.

Em "Adivinhe Quem Vem Para Jantar", ele interpreta o noivo de uma jovem burguesa branca que o apresenta a seus pais, um casal de intelectuais que se acreditam ter a mente aberta. O encontro foi um choque, e o resultado é um grande filme sobre o racismo da época.


Como diretor, Poitier trabalhou com seu amigo Harry Belafonte e Bill Cosby em "Aconteceu num Sábado", de 1974, e Richard Pryor e Gene Wilder em "Loucos de Dar Nó", de 1980.

Poitier, que era um dos últimos astros vivos da Era de Ouro de Hollywood, foi homenageado pela Academia em 2002, recebendo o Oscar pelo Conjunto da Obra, por sua contribuição ao cinema.

Sua última aparição no Oscar foi em 2014, quando apresentou o prêmio de Melhor Diretor ao lado de Angelina Jolie. Na ocasião, o ator foi ovacionado de pé pelos presentes.

"Na época, eu encarnava as esperanças de todo um povo. Não tinha controle sobre o conteúdo dos filmes, mas podia recusar um papel, o que fiz muitas vezes."

Além de seu trabalho nos cinemas, Poitier foi um grande ativista pelos direitos civis, recebendo por sua constante atuação na causa a Medalha Presidencial da Liberdade pelo presidente Obama, em 2009.

Além disso, também foi Embaixador das Bahamas no Japão entre os anos de 1997 e 2007.

Poitier foi casado por 45 anos com Joanna Shimkus, sua segunda mulher, com quem teve seis filhos, incluindo a atriz Sydney Tamiia Poitier.

Dê sua opinião: