Acompanhe

Alexandre de Moraes suspende quebra de sigilo de Bolsonaro determinada pela CPI

Quebra de sigilo havia sido determinada pela CPI
Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Telegram

Ministro Alexandre de Moraes

Ministro Alexandre de Moraes Foto: Reprodução

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu, nesta segunda-feira (22), a quebra de sigilo telemático do presidente Jair Bolsonaro. A diligência tinha sido determinada pela CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid-19. Os dados deveriam ser enviados ao Supremo e à PGR (Procuradoria-Geral da República).

O presidente, por meio da AGU (Advocacia-Geral da União), ingressou com mandado de segurança no STF pedindo a suspensão da medida. Para o ministro Alexandre de Moraes, embora seja dotada de poderes judiciais durante suas diligências, a CPI não pode fazer esse tipo de pedido sem que tenha indícios robustos da necessidade.

Moraes destacou que o requerimento foi aprovado no último dia de atividade da CPI, o que, na visão dele, não pode ocorrer. Tal medida só poderia ser tomada com a comissão em plena atividade. "Evidencia-se desse quadro que, finalizada a CPI com aprovação do relatório final, não há que cogitar em aproveitamento pela própria Comissão Parlamentar de Inquérito das medidas constritivas mencionadas", completou ele.

O ministro também negou um pedido para impedir o acesso do presidente às redes sociais. Ele determinou que a PGR se manifeste sobre o caso no prazo de 15 dias.

Fonte: R7.com



Dê sua opinião: