Acompanhe

Bruno Covas é intubado em UTI após sangramento no estômago

Prefeito está internado no Sírio-Libanês
Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Telegram

Bruno Covas, prefeito de São Paulo

Bruno Covas, prefeito de São Paulo Foto: Reprodução

O prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi intubado e transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio-Libanês, no Centro da capital paulista, após a descoberta de um sangramento no estômago, na manhã desta segunda-feira (3).

A transferência para a UTI foi decidida após um exame de endoscopia verificar que o sangramento era causado por uma úlcera, em cima do tumor original que ele enfrenta na cárdia, que é a passagem do esôfago para o estômago. Segundo o médico David Uip, que compõe o corpo clínico que cuida do prefeito, o sangramento foi controlado pelo endocopista.

Por causa da mudança do quadro e da transferência para a UTI, as sessões de quimioterapia e imunoterapia que o prefeito faria nesta segunda (3) foram suspensas e não devem acontecer nos próximos dias. A análise dos médicos é de que esse tipo de sangramento não é desejável, mas faz parte de um quadro de tratamento que o prefeito passa atualmente.

Internação
Covas foi internado na tarde deste domingo (2) para cuidar de efeitos adversos do tratamento que enfrenta contra novos focos de câncer, através de sessões de imunoterapia e quimioterapia. Por causa do tratamento, ele anunciou um pedido de afastamento do cargo por 30 dias do cargo.

Em entrevista à rádio CBN na manhã desta segunda (3), o médico David Uip, afirmou que ele teve náuseas e vômitos no fim de semana e a equipe médica optou por adiantar a internação dele preventivamente.

"O prefeito teve sintomas neste fim de semana próprios de quem recebe tratamento quimioterápico e imunoterápico. Ele teve náuseas, perspectiva de vômitos. Então, nós optamos por interná-lo para anteciparmos exames e para também avaliar a possibilidade do segundo ciclo de químio e imunoterapia", afirmou Uip.

O médico também disse que novos focos de tumor foram encontrados na região dos ossos da bacia e da coluna.

"Aumentaram o número de tumores no fígado e em outros lugares. E apareceram em dois outros locais também: na bacia e na coluna. (...) Como é um tratamento muito poderoso, você sempre trata com a efetividade do tratamento versus o efeito colateral. Então, nós estamos muito atentos e preferimos que ele viesse para o hospital ontem mesmo por conta disso. De um lado para avaliar a efetividade do tratamento, de outro, para avaliar os efeitos colaterais desse tratamento", declarou Uip.

Afastamento por 30 dias
Bruno Covas (PSDB) decidiu se licenciar por 30 dias do cargo para dar continuidade ao tratamento que enfrenta contra um câncer no sistema digestivo. A licença foi anunciada em comunicado publicado nas redes sociais neste domingo (2).

Fonte: Folhapress

Dê sua opinião: