Ciro Nogueira integra CPI que vai investigar a conduta da União na pandemia

Senador defende trabalho técnico da CPI
Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Telegram

Ciro Nogueira, senador pelo Progressista

Ciro Nogueira, senador pelo Progressista

O senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressita, integrante da CPI da Covid que vai investigar a conduta da União na pandemia e o uso de recursos federais por estados e municípios, afirmou nesta quarta-feira (14) que a  CPI da Covid que será instalada no Senado tem que ser técnica e não política.

"A população quer ser imunizada, ser tratada, sendo que não vejo no atual momento o que a CPI possa ajudar.Mas já que foi instalada. Que ela venha com efetividade e que se tenha resultado que saiam do campo político e da disputa política", destaca.

Integrantes da CPI Covid
Titulares
Eduardo Braga (MDB-AM) - independente
Renan Calheiros (MDB-AL) - próximo à oposição, mas prefere ser chamado de independente
Ciro Nogueira (PP-PI) - governista
Otto Alencar (PSD-BA) - próximo à oposição, mas prefere ser chamado de independente
Omar Aziz (PSD-AM) - independente
Tasso Jereissati (PSDB-CE) - próximo à oposição, mas prefere ser chamado de independente
Eduardo Girão (Pode-CE) - próximo ao governo, mas prefere ser chamado de independente
Humberto Costa (PT-PE) - oposição
Randolfe Rodrigues (Rede-AP) - oposição
Marcos Rogério (DEM-RO) - próximo ao governo, mas prefere ser chamado de independente
Jorginho Mello (PL-SC) - governista

Suplentes
Jader Barbalho (MDB-PA)
Luis Carlos Heinze (PP-RS)
Angelo Coronel (PSD-BA)
Marcos do Val (Pode-ES)
Rogério Carvalho (PT-SE)
Alessandro Vieira (Cidadania-SE)
Zequinha Marinho (PSC-PA)

Formação do colegiado
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), leu nesta terça-feira (13) o ato de criação da CPI da Pandemia. Com a medida, ficou autorizada a formação do colegiado, destinado a apurar as ações e eventuais omissões do governo federal durante o enfrentamento à Covid-19.

O requerimento da comissão, de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirma que tem o objetivo de “apurar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Brasil e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas com a ausência de oxigênio para os pacientes internados” nos primeiros meses de 2021.

Durante a leitura, Pacheco informou que, além do proposto por Randolfe Rodrigues, a CPI também poderá apurar eventuais irregularidades em estados e municípios, conforme proposta do senador Eduardo Girão (Podemos-CE), desde que "limitado às fiscalização de recursos da União repassados aos demais entes federados para combate da pandemia".

 Da Redação

 

Dê sua opinião: